Entenda a síndrome

O psicanalista Herbert J. Freudenberger, após diagnosticar os primeiros sintomas dessa síndrome na década de 70, a denominou Burnout, por se tratar de um “incêndio interno”, ocasionado por esgotar-se para atingir uma meta irrealizável, imposta pelo próprio indivíduo ou pela sociedade.

Também conhecida como síndrome do esgotamento profissional, é um distúrbio psíquico caracterizado pelo estado de tensão e estresse crônico provocado por fatores diretamente relacionados ao trabalho, tais como sobrecarga, falta de autonomia e de suporte social para a realização das tarefas.

A saúde mental tem se tornado pauta constante nas empresas de forma que estas estão priorizando cada vez mais a criação de novas ideias de benefícios para manter o bem estar dos colaboradores, principalmente após a Síndrome de Burnout ser incluída à lista de Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Quais os sintomas?

O sintoma típico da síndrome de Burnout é a sensação de esgotamento físico e emocional que se reflete em atitudes negativas, como:

Ausências no trabalho;

Agressividade;

Isolamento;

Mudanças bruscas de humor;

Irritabilidade;

Dificuldade de concentração;

Lapsos de memória;

Ansiedade;

Depressão;

Pessimismo;

Baixa autoestima.

Dores de cabeça, enxaqueca, cansaço, sudorese, palpitação, pressão alta, dores musculares, insônia, crises de asma, distúrbios gastrintestinais são manifestações físicas que podem estar associadas à síndrome.

É importante ficar alerta aos sintomas, pois estes são comuns em outros transtornos psicológicos e muitas vezes mascaram a doença e resultam em um diagnóstico inadequado, causando dessa forma danos maiores ao colaborador como incapacidade total e permanente, o que consequentemente levará à uma aposentadoria por invalidez.

Como Evitar?

As peças chaves para este quebra cabeça são: ambiente de trabalho saudável e equilíbrio entre vida profissional e vida social. 

Como a síndrome do esgotamento profissional está diretamente relacionada ao trabalho, as empresas têm papel fundamental no momento de prevenção à doença. Estas precisam desenvolver pacotes de benefícios atraentes, para manter seus colaboradores engajados e também auxiliar seus colaboradores a lidar com as cobranças do dia a dia, oferecendo o suporte necessário para o encaminhamento ao psicólogo ou psiquiatra, além de fornecer o suporte profissional, a fim de entender o momento de carreira do colaborador. 

O bem estar do colaborador está no topo das prioridades das empresas, uma vez que o esse é a força de trabalho que faz a máquina organizacional girar.

Orientações

De acordo com o psicólogo Claudio Godoi, especialista em Ansiedade pela Faculdade de Medicina da USP, pioneiro e professor de psicologia dos eSports da PUC, o Burnout ou síndrome do esgotamento profissional está intrinsecamente ligada a qualidade de vida, portanto, é crucial avaliar o quanto as condições de trabalho atuais estão prejudicando sua saúde física e mental.

Pessoas com síndrome de Burnout costumam ter crises emocionais e de ansiedade, portanto, o consumo de álcool deve ser evitado, e o uso de medicamentos, específicos para o tratamento, deve ser acompanhado por um médico, visto que são substâncias que podem causar distorção na sua forma de percepção e na sua maneira de agir, dessa forma, estes podem acabar agravando a síndrome ao invés de solucioná-la.

Vale ressaltar que a comunicação é extremamente importante para todos, em especial para as pessoas com Burnout, então, converse com familiares e amigos, ouça suas opiniões. Por vezes, a pessoa que tem Burnout demora a perceber que a síndrome está instalada e quando se dá conta, o quadro já está bem agravado.

Se você está passando por esta situação, procure atendimento médico e psicológico, esses são os profissionais poderão te ajudar no controle e tratamento da síndrome. O tratamento da síndrome de Burnout é realizado através de psicoterapia e, quando necessário, uso de antidepressivos. A prática de atividades físicas de formar regular e exercícios de relaxamento também são empregados no tratamento, uma vez que se mostram bastante efetivos no combate aos sintomas.

É importante ressaltar que pessoas com Burnout, pela legislação atual, possuem direito a licença médica e, em casos extremos, até aposentadoria por invalidez. Mas vale ressaltar que mais efetivo que tratar, é prevenir-se. Portanto o equilíbrio dos pilares Vida e Trabalho, Atividades físicas e Psicoterapia podem auxiliar você a ir mais longe de maneira mais saudável.

Agora que você sabe o que é a Síndrome de Burnout você terá outra visão sobre o bem estar do seu time. 

Assine nossa Newsletter

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de todas as novidades da Dio Mio.

Seu e-mail está seguro conosco.